bolsas femininas

.

Que tal executar todas as metas de 2012?
Por: Jose Jayme JR


E mais um ano começa. Acompanhado com ele vem diversas promessas e sonhos à realizar. Mas certamente esse não é o primeiro ano, e esperamos que não seja o último,  em que muitos prometem e não cumprem o que definiu para esse novo ciclo. Mas isso pode mudar, se o que


você trata como sonho se tornar uma meta e estruturar os caminhos necessários para se alcança-la. Segue abaixo algumas dicas de como tornar o ano de 2012 mais produtivo, e que possibilitará um terreno mais adequado para tirar seus sonhos apenas do âmbito dos desejos:

1 – Separe seu ano em semanas: Alguns podem preferir separar em dias, ou meses, que é o mais lógico de acordo com nossos calendários, mas muitas atividades de nossas vidas podem ser administradas baseadas em semanas. Hoje, por exemplo, estamos na semana 01 do ano. Será seu ponto de partida

2 – Escolha seu dia de planejamento: Um dia da semana será definido para se planejar todo o restante. Escolha um dia estratégico, como a sexta ou o domingo, para sentar, ordenar as atividades da semana e avaliar as da semana anterior;

3 – Relacione suas metas globais: Claro que, na vida, nada acontece em uma semana. Logo tenha uma lista das suas metas de médio e longo prazo a executar. Casar, viajar, ter filhos, ir ao show da Shakira... tudo isso pode ser tratado em separado e as atividades de curto prazo relacionadas a meta global podem ser listadas no planejamento semanal. Essas metas devem ser tratadas em separado, como projetos de vida ou mesmo projetos profissionais a depender da natureza. Se possível, em suas anotações, identifique-as com um prefixo. E por falar em anotações...

4 – Tenha um caderno e uma agenda – Nada impede que seja físico ou virtual, papel ou smartphone, mas tenha sempre esses dois a mãos. Um lugar para anotar todas as ideias, situações relevantes e informações que sirvam de base para tarefas e atividades, bem como uma agenda para registrar eventos com datas definidas, servirão de base para todas as atividades a serem executadas. As anotações podem ser separadas por semanas, conforme sugestão do item 01


5 – Lista de atividades na mão – Tenha uma, sempre. Ela será seu guia de todas as coisas que serão feitas. Softwares ou mesmo um caderno de anotações específico podem ser ótimas alternativas. Semanalmente essa lista deve ser revista, criticada e atualizada de forma global, e diariamente de forma pontual;

6 – Mãos a obra: Siga sempre uma rotina de planejamento de suas atividades. Adeque as etapas das suas metas globais as atividades semanais e cultive, passo a passo, os caminhos para o atingimento dos objetivos. Dessa forma, você descobrirá que suas metas são acessíveis e até certo ponto fáceis, mostrando que terá tempo até mesmo para executar mais de uma meta ao mesmo tempo.
A semana 01 já começou, vamos começar o ano com o pé direito?

========================================

Encontre seu Norte
Por: Jose Jayme JR

Lecionei recentemente a disciplina de Informática aplicada a Edificações em um curso de Técnico em Edificações. Na primeira aula, pedi que os alunos se apresentassem e me dissessem qual era a motivação deles para estar ali, pagando um curso que exigia dedicação e sacrifícios. As respostas foram as mais variadas. Algumas inconsistentes, outras profundas e motivadoras. Lembrei-me de alguns comentários engraçados que ouvi quando eu estava entrando na faculdade, de colegas que escolheram o curso porque queriam “ficar perto de um amigo que já fazia o curso” ou porque era “a faculdade mais perto da minha casa”. Causa-me pânico saber que alguém toma grandes decisões na vida como quem escolhe uma roupa para ficar em casa.

Ultimamente venho refletindo sobre as escolhas que fiz, mesmo as mais instintivas, e que para as quais, para minha sorte, tive uma base sólida. Entre elas, cito os cursos de idiomas. Sempre quis estudar Inglês, não por motivos profissionais, mas para me comunicar com o mundo. Fui influenciado pela cultura americana através da televisão e dos filmes de Hollywood e, quando comecei a engatinhar a internet, tive mais contato com a língua e muito interesse em saber o que estava escrito ali. Hoje gosto de frequentar aulas de Inglês também pelo lado profissional. Com o tempo e as viagens, minha necessidade de comunicação cresceu ao perceber a importância do Inglês como segunda língua, mas se estendeu ainda para o Espanhol quando me dei conta de que somos o único país lusófono em um meio hispânico. A semelhança da nossa língua com a do resto da América Latina somado ao interesse de conhecer suas culturas me fizeram criar o interesse por esse outro idioma, e comecei outro curso.

Outra escolha bem sucedida e intuitiva que fiz foi pelos esportes, na adolescência. Comecei a praticar natação no colégio e participar de diversos campeonatos, alguns amadores e outros profissionais. As vitórias, mesmo que em pouca quantidade, sempre serviam de motivação para continuar treinando. Depois, tive uma experiência com o vôlei, também na escola. Algum tempo depois, entrei para a equipe do colégio. Treinar era um trabalho duro, mas sempre motivado pelos campeonatos interescolares, que não deixavam o ritmo de trabalho minguar. Treinávamos muito, até mesmo nos sábados, e era muito gratificante ganhar posições nesses campeonatos. Nos dois casos, havia um norte bem definido para as atividades.

Engraçado como, avaliando as minhas tentativas frustradas de fazer exercícios físicos, hoje vejo que falta uma meta bem definida para avançar, além de tentar vencer as constantes piadas da família e amigos sobre meu sobrepeso. Certamente a manutenção da saúde é um objetivo plausível, mas quanto em saúde quero ganhar? Quanto de peso pretendo perder? Quem sabe correr uma maratona não seria uma motivação forte para a manutenção de uma corrida diária? São essas intenções que terei de analisar, baseado no aprendizado que tive com as escolhas do meu passado.

Um leão na savana certamente não começaria a correr apenas pela manutenção da saúde e, sim, para alcançar sua comida. Da mesma forma, é na vida profissional. Precisamos sempre de motivação para as nossas atividades. Fazer um curso ‘da moda’ ou que está dando dinheiro e trabalhar visando apenas o salário no final do mês será um martírio na vida que quem resolveu adotar esse modelo. A escolha profissional precisa motivar, mover você. Busque uma meta forte para tudo o que fizer e as dificuldades na estrada se tornarão apenas etapas em sua trajetória.

José Jayme Júnior é Engenheiro Civil, Escritor, Administrador da Comunidade de empregos do Orkut "Mercado e Trabalho Recife, e Parceiro do InformeVagas PE)


========================================
O Perfil do Profissional do Futuro
Por: Raissa Q. Dantas

Vamos imaginar o profissional do futuro? Nesse mundo já bastante cibernético, dinâmico e mensurável. Quantos blogs esse profissional terá, quantos amigos no facebook?. Isso se Mark Zuckerberg não se transformar no profissional de ontem, do século passado. Com a velocidade que os acontecimentos atropelam o nosso pensamento, seria impossível afirma com exatidão qualquer previsão futura.

Alguém pode perguntar: Raissa mais você não é numeróloga? Eu diria entrou um vírus na minha bola de cristal! Ontem eu era blogueira, hoje já sou colunista! A velocidade desse mundo atropela minhas previsões.

Voltando ao assunto original desse post: O profissional do futuro! Posso não saber o que ele estará fazendo na estratosfera, mais garanto que ele será curioso. A curiosidade nos empurra em busca do novo, do diferente do imaginável. È ela que alimenta a nossa mente, e enche nossos sentidos de criatividade.

Quanta criatividade! Nem toda a criatividade do mundo me fará imaginar que trabalho o profissional do futuro estará desenvolvendo daqui a 10 anos? Parece pouco para vocês? Pergunte a geração F, isso mesmo F! A geração Facebook! Ela que já nasceu dentro dessa rede social estará dominando o mundo, criando novas profissões, novas formas de trabalhar, novas possibilidades de empreender.

Quanto entusiasmo! Prender a atenção dessa geração que comandará o mercado (consumidor, de trabalho, editorial...), não será fácil. Remanescentes das gerações X, Y e Z se preparem! O trabalho será árduo.

O profissional no futuro inventará um novo jeito de trabalhar, de se expressar de conduzir. É como convicta entusiástica desse futuro que nos espera, que eu saúdo esse profissional e peço carona a essa locomotiva que passa em direção ao futuro, chamada internet!

Raissa Q. Dantas é colunista do portal Diário Paraibano e Parceira do InformeVagas PE



InformeVagas PE

    • POPULAR
    • CATEGORIAS
    • ARQUIVO